Pular para o conteúdo principal

Todos têm o dever de lutar contra as mentiras na Igreja



ECCLESIA15/02/2021

O melhor termo para descrever o estado atual da Igreja é confusão, que tem sua origem na falta de respeito pela verdade. Cada um de nós, segundo a sua vocação de vida e os seus dons particulares, tem o dever de dissipar as confusões e de manifestar a luz que só vem de Cristo. Há confusão sobre a própria natureza da Igreja e sua relação com o mundo. Somente com o batismo alguém se torna filho de Deus e não é verdade que Deus deseja uma pluralidade de religiões.
Cardeal Burke
O melhor termo para descrever o estado atual da Igreja é confusão; confusão que muitas vezes beira o erro. A confusão não se limita a uma ou outra doutrina ou disciplina ou aspecto da vida da Igreja: diz respeito à própria identidade da Igreja.
A confusão tem sua origem na falta de respeito pela verdade,seja na negação da verdade ou na alegação de não saber a verdade ou na falha em declarar a verdade que é conhecida. No seu confronto com os escribas e fariseus por ocasião da Festa dos Tabernáculos, Nosso Senhor falou claramente daqueles que promovem a confusão, recusando-se a reconhecer a verdade e a falar a verdade. A confusão é obra do Maligno, como ensinou o próprio Nosso Senhor, quando disse estas palavras aos escribas e fariseus: “Por que não entendem a minha língua? Porque você não pode ouvir minhas palavras, você que tem o diabo como seu pai, e você quer cumprir os desejos de seu pai. Ele foi um assassino desde o início e não perseverou na verdade, porque não há verdade nele. Quando mente, fala por si mesmo, porque é mentiroso e pai da mentira. Para mim, ao invés, você não acredita, porque eu digo a verdade ». (Jo 8,43-45).
A cultura da mentira e a confusão que ela gera não têm nada a ver com Cristo e Sua Noiva, a Igreja. Lembre-se da admoestação de Nosso Senhor no Sermão da Montanha: “Seja a vossa palavra sim, sim; não não; mais vem do maligno ”(Mt 5, 37).
Por que é importante refletirmos sobre o estado atual da Igreja , marcado como está por tanta confusão? Cada um de nós, como membro vivo do Corpo Místico de Cristo, é chamado a lutar a luta do bem contra o mal e o Maligno, e a manter a raça do bem, a raça de Deus, com Cristo. Cada um de nós, segundo a sua vocação de vida e os seus dons particulares, tem o dever de dissipar as confusões e de manifestar a luz que só vem de Cristo, que vive para nós na Tradição viva da Igreja.
Não deve ser surpresa que, no estado atual da Igreja, aqueles que se preocupam com a verdade, que são fiéis à Tradição, sejam rotulados de rígidos e tradicionalistas porque se opõem à agenda de confusão prevalecente. Eles são retratados pelos autores da cultura da mentira e da confusão como pobres e carentes, doentes que precisam de tratamento.
Na verdade, só queremos uma coisa,isto é, poder declarar, como São Paulo no fim dos seus dias terrenos: «Quanto a mim, o meu sangue está prestes a ser derramado em libação e é chegado o momento de desembaraçar as velas. Combati o bom combate, terminei a corrida, mantive a fé. Agora tenho apenas a coroa da justiça que o Senhor, o Justo Juiz, me entregará naquele dia; e não só a mim, mas também a todos aqueles que com amor esperam a sua manifestação ”(2 Timóteo 4, 6-8).
É por amor a nosso Senhor e por sua presença viva conosco na Igreja que lutamos pela verdade e pela luz que ela sempre traz em nossa vida.
Além do dever de combater a mentira e a confusão em nossa vida cotidiana, como membros vivos do Corpo de Cristo, temos o dever de fazer conhecer as nossas preocupações pela Igreja aos nossos pastores - o Romano Pontífice, os Bispos e os sacerdotes que o são. os principais colaboradores dos bispos no cuidado do rebanho de Deus. Cânon 212, um dos primeiros cânones do Título I, "Obrigações e direitos de todos os fiéis", do Livro II, "O Povo de Deus", do Código de O Direito Canônico afirma: « §1. Cientes de sua responsabilidade, os fiéis cristãos são obrigados a seguir com obediência cristã as coisas que os pastores sagrados, ao representar a Cristo, declaram como mestres da fé ou estabelecem como governantes da Igreja
§2. Os fiéis cristãos são livres para dar a conhecer aos pastores da Igreja as suas necessidades, especialmente as espirituais, e os seus desejos.
§3. De acordo com os conhecimentos, competência e prestígio que possuem, têm o direito e por vezes até o dever de exprimir aos sagrados pastores a sua opinião sobre assuntos que dizem respeito ao bem da Igreja e de fazer conhecer a sua opinião aos restantes fiéis. , sem prejuízo da integridade da fé e dos costumes, com reverência pelos seus pastores e atenta ao bem comum e à dignidade do povo ”.
As fontes do cân. 212, que é novo no Código de Direito Canônico, são os ensinamentos do Concílio Ecumênico Vaticano II, especialmente o n. 37 da Constituição Dogmática sobre a Igreja, Lumen gentium , e n. 6 do Decreto sobre o Apostolado dos Leigos, Apostolicam actuositatem .
Como sublinha a legislação canónica, os fiéis leigos são chamados a dar a conhecer as suas preocupações pelo bem da Igreja, também através da sua divulgação, respeitando sempre a pastoral tal como foi constituída por Cristo na fundação da Igreja através do seu ministério público. , especialmente através de sua paixão, morte, ressurreição, ascensão e o envio do Espírito Santo no Pentecostes. Com efeito, as intervenções dos fiéis leigos com os seus pastores para a edificação da Igreja não só não diminuem o respeito pela função pastoral mas, de facto, o confirmam (cf. Lumen gentium n. 37).
Infelizmente, hoje, por alguns na Igreja, a expressão legítima de preocupação com a missão da Igreja no mundo por parte dos fiéis leigos é julgada como uma falta de respeito pela função pastoral.
O já formidável desafio apresentado por uma secularização cada vez mais crescente e mais agressiva torna- se ainda mais formidável por várias décadas de falta de uma catequese saudável na Igreja. Acima de tudo, em nosso tempo, os fiéis leigos olham para seus pastores para expor claramente os princípios cristãos e seu fundamento na tradição da fé, tal como é transmitida na Igreja em uma linha contínua.
Uma manifestação alarmante da cultura atual de mentiras e confusão na Igreja é a confusão sobre a própria natureza da Igreja e sua relação com o mundo. Hoje ouvimos cada vez com mais frequência que todos os homens são filhos de Deus e que os católicos devem relacionar-se com as pessoas de outras religiões e sem religião como filhos de Deus: esta é uma mentira fundamental e fonte das mais graves confusões.
Todos os homens são criados à imagem e semelhança de Deus, mas, desde a queda de nossos primeiros pais, com a conseqüente herança do pecado original, os homens podem se tornar filhos de Deus somente em Jesus Cristo, Deus Filho, a quem Deus Pai enviou ao mundo, para que os homens pudessem se tornar seus filhos novamente e filhas através da fé e do Batismo. É somente pelo sacramento do Batismo que nos tornamos filhos de Deus, filhos e filhas adotivos de Deus em Seu Filho unigênito. Em nossas relações com pessoas de outras religiões e sem religião, devemos mostrar-lhes o respeito devido àqueles que foram criados à imagem e semelhança de Deus, mas, ao mesmo tempo, devemos dar testemunho da verdade do pecado original e justificação por meio do Batismo. Caso contrário, a missão de Cristo, a sua encarnação redentora e a continuação da sua missão na Igreja não tem sentido.
Não é verdade que Deus deseja uma pluralidade de religiões. Ele enviou Seu Filho unigênito ao mundo para salvar o mundo. Jesus Cristo, Deus Filho Encarnado, é o único Salvador do mundo. No relacionamento com os outros, devemos sempre dar testemunho da verdade sobre Cristo e a Igreja, para que quem segue uma religião falsa ou não tem religião pode receber o dom da fé e buscar o Sacramento do Batismo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mensagens de Nossa Senhora a Edson Glauber

  Em 03.04.2021 - Itapiranga-AM.   A paz meus filhos amados, a paz! Meus filhos, eu sua Mae, os convido à oração, à oração, à oração. Escutem o meu chamado que lhes faço. São chamados santos vindos do Senhor. Intercedam pelo bem das famílias, pelo bem de cada um de vocês e do mundo inteiro. Cada palavra que lhes dirijo é importante. Que elas entrem em seus corações e transformem suas vidas. Lembrem-se, meus filhos, quando estiverem desanimados e sem esperança invoquem o meu Imaculado Coração e receberão grandes graças. Recebam agora a minha benção: em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!   Em 04.04.2021 - Itapiranga-AM.   A paz meus filhos amados, a paz! Meus filhos, o amor de Deus é imenso e sem fim. Peçam todos os dias este seu amor divino para vocês e suas famílias e verão o que o Senhor fará pelos seus que os amam. Dediquem-se sempre mais a oração, e assim, o Senhor lhes dará grandes graças que os ajudarão a converter os pecadores mais difíceis. Pers

NOVENA À SANTA JOANA D'ARC

Rezemos pedindo a intercessão de Santa Joana D'Arc pela santificação e conversão dos jovens mais rebeldes, perdidos e ingratos, que se encontram distantes dos três Sagrados Corações unidos de Jesus, Maria e José. I ORAÇÃO: Ó Santa Joana d’Arc, vós que, cumprindo a vontade de Deus, de espada em punho, vos lançastes à luta, por Deus e pela Pátria, ajudai-me a perceber, no meu íntimo, as inspirações de Deus. Com o auxílio da vossa espada, fazei recuar os meus inimigos que atentam contra a minha fé e contra as pessoas mais pobres e desvalidas que habitam nossa Pátria. Santa Joana d’Arc ajudai-me a vencer as dificuldades no lar, no emprego, no estudo e na vida diária. Ó Santa Joana d’Arc atenda ao meu pedido (pedido). E que nada me obrigue a recuar, quando estou com a razão e a verdade, nem opressões, nem ameaças, nem processos, nem mesmo a fogueira. Amém! 1 Pai Nosso, 1 Ave Maria e 1 Glória II ORAÇÃO: Ó mais pura Virgem e Gloriosa má

Mensagens de Nossa Senhora e de São José

  Em 23.03.2021 - Nossa Senhora   A paz ao teu coração! Meu filho, eu venho do céu para chamar o mundo à conversão. Eu desejo ardentemente a salvação de todos os meus filhos. Reze pelos que não acreditam e que continuam com os seus corações endurecidos e fechados para Deus. O Senhor pedirá um dia tanto destas almas e ai daquelas que se apresentarem diante dele com as mãos vazias, sem boas obras. Reze, reze muito para que todos os corações se abram a Deus, enquanto ainda há tempo para isso. Eu te abençoo!   Em 24.03.2021   A paz ao teu coração! Meu filho, seja testemunha da paz de Deus mesmo nas maiores perseguições e provas de tua vida. Nunca te deixes abater pelas dificuldades ou contrariedades, elas sempre existirão e estarão aparecendo em teu caminho espiritual para desanimar-te, mas eu te digo, lute e vença todas as dificuldades com fé e paciência. Os pacientes sempre terão a benção do Senhor. Que tuas orações cheias de amor possam subir ao céu como pedido e súplica